EU E O MAR

Um encontro de renovação e cura através da reconexão com os instintos presentes na natureza. Uma ida para a praia sempre pode ser uma experiência transformadora basta estar atento as sinais de dentro e de fora de si.

Quantas vezes, enquanto ser deste bioma que é a terra, seu instinto busca auxílio nos elementos naturais para promover alguma cura? Comigo este momento se concretiza de frente para o mar, com os pés descalços sobre a praia, ouvindo o som da espuma das ondas e o vento mais forte, que provoca um som peculiar captado com atenção pelos meus ouvidos.


De frente para o mar me curvo para a grandiosidade de nosso planeta pois visualizo seu poder de adaptação diante das suas diferentes realidades, me curvo ao seu potencial em recuperar as agressões que sofre daqueles que habitam sobre seu chão, me curvo para a sua capacidade de expressar toda sua intensidade e violência na forma de grandiosas ondas e sua doçura e serenidade em leves brisas e aguas tranquilas.


Assim como o mar as minhas profundezas também são assustadoras, são as magias do meu mais desconhecido eu, mas que tenho certeza que podem emergir quando assim for necessário.


Assim como o mar também tenho uma área mais rasa, quentinha e transparente, que é calma e onde permito que mergulhem sem medo. É como um cartão de visita enviado com carinho e respeito.


Assim como o mar também posso ter meus instantes de fúria e como uma grandiosa onda estar repleto de força para arrebentar nos arrecifes, mesmo que possa me machucar ou ferir com isso.


Também sou água, sou forte, sou frágil e sou misterioso. Também sou natureza!

4 visualizações0 comentário