• Carlos Henrique Silva

TEREZA COSTA RÊGO SEMPRE VIVA EM EXPOSIÇÃO NO MUSEU DO ESTADO

A mostra, que segue até 27 de março, traz obras de diversas fases da artista, muitas sendo exibidas pela primeira vez ao público

#artepernambucana #modernismo #pintura #mulher


Em sua primeira semana no Museu do Estado de Pernambuco (Mepe), a exposição “Viva a Tereza” revela ao público as várias fases da pintora Tereza Costa Rêgo, falecida em 2020 aos 91 anos. Tereza é o nome mais forte e pulsante do modernismo pernambucano, tendo sido formada em História pela USP, e bastante sintonizada com os acontecimentos políticos de sua época.


A mostra está sendo exibida juntamente com o lançamento do livro “A liberdade em vermelho”, lançado pela Companhia Editora de Pernambuco (Cepe). Ambos fazem parte do conjunto de esforços governamentais para “nacionalizar” o conhecimento sobre a extensa produção da artista pernambucana. O projeto editorial é assinado pela jornalista Joana Rozowykwiat, neta de Tereza. A exposição tem a curadoria assinada por Marcus Lontra e Bruno Albertim.


Filha de uma família tradicional da aristocracia rural pernambucana, Tereza teve uma educação bastante rígida e repressora. Mas através da arte expressava seus sentimentos, e devido ao envolvimento contrário à ditadura militar, precisou entrar na clandestinidade e buscou exílio no Chile, na China e em países da Europa. Sua pintura representa o universo feminino, questões políticas e históricas e autobiográficas.


A exposição ocupa 607 metros quadrados e todos os ambientes do Espaço Cultural Cícero Dias. São 47 obras de várias fases da trajetória da pernambucana. Algumas delas da década de 40, quando a artista assinava “Terezinha”, e outras mais recentes, que nunca haviam sido expostas.


Foto: Daniel Rozowykwiat / Divulgação


Além dos quadros, a exposição exibe também alguns dos escritos de Tereza. “Todo artista aprende muito até o último dia de vida. Vou continuar trabalhando a minha pintura, como quem vive ou como quem morre”. Nas paredes do Cícero Dias, para todo mundo testemunhar, a dedicação da pernambucana à arte. “Tem dias que pinto até não aguentar mais. Não é só um trabalho intelectual, mas também físico. Pinto e vou deitar com dores no corpo até passar. Preciso pintar. Pintarei até não poder mais.”

Serviço: Exposição Viva Tereza

Quando: de 20 de janeiro a 27 de março de 2022 Onde: Museu do Estado de Pernambuco (Mepe) – Av. Rui Barbosa, 960 – Graças

Preço: R$ 10 e R$ 5 (meia-entrada) – nas quartas-feiras a entrada é gratuita

Obs.: É necessário apresentar carteira de vacinação contra a Covid-19

16 visualizações0 comentário